No presente artigo apresenta-se uma análise das metaestratégias político-linguísticas cuja implementação resulta possível e provável na Galiza, procurando compreender as suas potencialidades e limitações, sob a lente da teoria crítica do reconhecimento enunciada por Fraser (1995, 2000), em relação à realidade da situação sociolinguística galega. Para isto, realiza-se uma contextualização desta situação, primeiro, e uma análise das estratégias possíveis para uma politica linguística galega. Na última parte do artigo analisam-se as potencialidades e limitações destas estratégias de acordo com a citada teoria crítica.

Públicado em AGÁLIA 104

Em datas recentes uma reconstrução da bandeira sueva do reino da Gallaecia teve certo sucesso, no que se refere à sua difusão. A juízo do autor deste trabalho a bandeira que se tem difundido contém erros devidos a uma transcrição parcial e deficiente da fonte. Com base no relatório original, e atendendo a critérios históricos e antropológicos, este artigo propõe uma outra interpretação que recolhe contextualmente tanto os dados descritivos
do documento como uma visão reintegradora no quadro específico da cultura tradicional galaica.

Públicado em AGÁLIA 102

ficha

Agália. Revista de Estudos na Cultura

ISSN: 1130-3557.
Depósito Legal: C-250 - 1985 (versão impressa)
Edita:
Associaçom Galega da Língua (AGAL)
URL:
http://www.agalia.net
endereço-eletrónico: revista
@agalia.net
endereço postal:
R/ Santa Clara nº 21, 15704 Santiago de Compostela (Galiza)
Periodicidade Semestral (números em junho e dezembro)
Diretores: Roberto Samartim e Felisa R. Prado
Indexada nas bases de dados de dialnet e da CAPES