Neste artigo, busca-se aproximar o dramaturgo galego Ramón del Valle-Inclán de seus contemporâneos Adolph Appia, Gordon Craig e Vsevolod Meyerhold, no tocante aos esforços de renovação do teatro europeu do início do século XX. Para tanto, faz-se uma análise comparativa entre as elaborações teóricas e práticas de Appia, Craig e Meyerhold e as de Valle-Inclán, sobretudo aquelas incorporadas às obras do ciclo esperpêntico. Por meio dessa análise conclui-se que Valle-Inclán possui afinidades com os colegas estrangeiros, especialmente, no que se refere ao uso criativo dos recursos de iluminação e de atuação.

Públicado em AGÁLIA 103

ficha

Agália. Revista de Estudos na Cultura

ISSN: 1130-3557.
Depósito Legal: C-250 - 1985 (versão impressa)
Edita:
Associaçom Galega da Língua (AGAL)
URL:
http://www.agalia.net
endereço-eletrónico: revista
@agalia.net
endereço postal:
R/ Santa Clara nº 21, 15704 Santiago de Compostela (Galiza)
Periodicidade Semestral (números em junho e dezembro)
Diretores: Roberto Samartim e Felisa R. Prado
Indexada nas bases de dados de dialnet e da CAPES